Get Adobe Flash player

Procurar

  Search  

Outras ligações

Câmara Municipal de Fafe



O nosso blogue

Notas

O Museu das Migrações e das Comunidades foi fundado por deliberação do Município de Fafe em 12/07/2001.  Um Museu que pretende aprofundar o conhecimento das migrações na diáspora portuguesa.





Atividades / Eventos

 

 

I Encontro Luso-Brasileiro de Museus-Casas: Espaço, Objeto e Museografia

Rio de Janeiro, 14 a 18 de Agosto de 2006

 

O I Encontro Luso-Brasileiro de Museus-Casas: Espaço, Objeto e Museografia é uma promoção da Fundação Casa de Rui Barbosa/Ministério da Cultura, e se insere nas comemorações do 76° aniversário do Museu Casa de Rui Barbosa. O evento conta com o apoio do Conselho Internacional de Museus / Comitê Brasileiro (ICOM-BR), do Comitê Internacional de Museus Casas Históricas (DEMHIST), do Departamento de Museus e Centros Culturais (DEMU) / Ministério da Cultura, e da Fundação Eva Klabin.

Cerimônia de abertura do seminário, tendo ao centro José Almino de Alencar, Presidente da Fundação, à direita o consul de Portugal no Rio de Janeiro e à esquerda José do Nascimento, do Demu/Iphan

 

O museu-casa, ao articular o edifício, seu entorno e os objetos que o preenchem à narrativa biográfica de determinado personagem, se torna um gênero especial de monumento, rico de representações e significados. Nesse sentido, a FCRB, por intermédio do Museu Casa de Rui Barbosa, vem se dedicando, desde 1997, a promover a análise e discussão de suas particularidades, tendo já realizados cinco eventos especializados.

 

Fundação Casa de Rui Barbosa - Rio de Janeiro (anterior proprietário Comendador Albino de Oliveira Guimarães, Natural de Fafe)

 

 

Este Encontro pretende contribuir para ampliar as possibilidades de leituras e compreensão dos significados que formam o museu-casa, ao aproximar experiências portuguesas e brasileiras, permitindo a aproximação de conjuntos museológicos resultantes de articulações socioculturais semelhantes, ainda que distintas.

No quadro do Encontro, as relações entre Portugal e Brasil, tomando como referência desde as matrizes coloniais aos fluxos migratórios contemporâneos, se voltam para suas repercussões e interferências culturais mútuas, inscritas em padrões técnicos, estéticos e políticos em permanente diálogo, porque para sempre inscritos na língua comum.